27 de janeiro de 2008

A humildade é a verdade!


Já o dizia há alguns séculos atrás a grande Tereza d'Ávila... e hoje assumo esta expressão com todo o poder de transformação que ela transporta em si mesma...


Ser o que em verdade se é, é ser humilde....

Ser coerente... é ser humilde...

Ter apenas uma cara... é ser humilde....

Não se deixar ir com o vento... é ser humilde...

Agir segundo as convicções interiores... é ser humilde...


Ainda que... se tenha muitas vezes que ser "apedrejada (o)"...

Ainda que... muitas vezes sejamos incompreendidas (os)...

Ainda que... corramos o risco de ser "banidas (os)"... como a bela história da Gaivota Fernão Capelo...

Ainda que... ainda que... o importante nesta caminhada, é ter como referência o próprio Jesus...


Que por excelência foi humilde, porque igual a Ele mesmo, na sua mais profunda verdade!


Desafio... aceitas neste momento da história seres tu própria, tu próprio, naquilo que tens de mais teu, mais original, mais criativo... mais divino? Aceitas que te apontem o dedo, que te marginalizem por fazeres parte dos amigos de Jesus? Aceitas dar espaço a este Jesus que te quer transformar na verdade, no amor... na paz? Aceitas?... então arregacemos as mangas e MÃOS À OBRA!

1 comentário:

alegria disse...

Pensa-se, muitas vezes, que ser humilde é anularmo-nos perante um outro...Tenho profunda convição que isso é uma completa e perigosa mentira: como posso crescer e crescer com o outro se não existo por mim própria? Se eu não trabalho o meu «eu», o eu que tem rosas e espinhos? Tenho para mim que a humildade é, como dizes, coerência. E coerência significa assumir essas rosas e esses espinhos (e não apenas os espinhos, como teimosamente fazemos). Que somos criaturas maravilhosas, em constante crescimento... A humildade é sentirmo-nos peça igual e fundamental, seja qual for o nosso papel. é sem dúvida enorme desafio: não é que o fundamental às vezes quer ser mais do que igual? e não é que por vezes o igual não acredita que é fundamental?
Reflexão muito pertinente, amiga.
Abraço a todos