7 de fevereiro de 2008

Há qualquer coisa em nós inquieta e ferida...

Músicas que fazem parte daquilo que somos e sonhamos...

1 comentário:

Catarina disse...

"Mas é preciso morrer e nascer de novo,
Semear no pó e voltar a colher,
Há que ser trigo, depois ser restolho,
Há que penar para aprender a viver.
E a vida não é existir sem mais nada,
A vida não é dia sim, dia não,
É feita em cada entrega alucinada,
Para receber daquilo que aumenta o coração."